Assista em:

inspire-vimeo
youtube transparente (1)
logo-prime-video-branca-256 (1)

Contamos histórias que inspiram pessoas a fazerem parte da construção de um mundo mais sustentável, diverso e inclusivo.

O Inspire & Conte-me é um documentário, que conta histórias significativas e inspiradoras de pessoas reais, gente como a gente e que possuem em comum a difícil tarefa de empreender juntamente com o desejo de construir um mundo mais sustentável, diverso e inclusivo.

Contamos as histórias da Anna Beserra e do Anderson, do Irton Silva, do Eduardo Ávila, do Adalberto Almeida, do Gui Brammer, da Adélia Rodrigues, do Edson Leite, da Zélia e do Francisco Samonek, que através dos seus negócios sociais irão nos ajudar a responder a pergunta que nos inspirou: é possível fazer a diferença e construir um mundo melhor?

São histórias que promovem impacto social e ambiental em comunidades tradicionais e periféricas de diferentes regiões do Brasil. Histórias que resgatam e valorizam saberes ancestrais, culturas e valores. Histórias que inspiram e transformam vidas.

O Inspire & Conte-me, que surgiu em 2016, é um projeto que tem o propósito de inspirar o maior número de pessoas através dessas histórias e de contribuir para o despertar daqueles que querem gerar impactos positivos no mundo.  Mais que um documentário, o Inspire & Conte-me é um movimento que promove esperança, otimismo, colaboração e cura.

Idealizado e dirigido por Ingrid Queiroz, o documentário Inspire & Conte-me foi produzido pela Inspire Narrativas e conta com o patrocínio do Atacadão, por meio da Lei de Incentivo à Cultura.

Inspire-se e faça parte deste movimento!

#InspireEConteMe

cartaz inspire & conte-me

Histórias

Som que Transforma Vidas

Por Instituto Som de Pele

Com o propósito de incluir jovens surdos na música, o educador Irton Silva, conhecido como Batman Griô, idealizou o Instituto Som de Pele e o grupo Batuqueiros do Silêncio. Para as aulas de percussão, Batman desenvolveu metodologias específicas capazes de traduzir as nuances do som em efeito visual. Para isso, criou o MusiLibras, que permite identificar figuras de tempo musical, e o Metrônomo Visual, equipamento com lâmpadas coloridas, e de tamanhos diferentes, que comunica o ritmo da música. Além de incluir e permitir que pessoas surdas sintam a vibração de cada som, o Batuqueiros do Silêncio convida para uma experiência musical que ultrapassa os limites do som.

Não é Lixo, é Matéria-Prima!

Por Boomera Ambipar

Com foco na economia circular e na conscientização do consumo sustentável, a Boomera Ambipar foi criada para dar nova vida aos resíduos que seriam descartados em aterros sanitários. Em parceria com mais de 8 mil cooperados, a instituição valoriza a logística reversa e transforma resíduos em produtos circulares. Embalagens de biscoitos por exemplo, viram cones para treinos em escolas de futebol de uma grande marca de calçados. Sachês de suco em pó se transformam em mais de 100 mil flautas, e outros instrumentos musicais, para o projeto de uma indústria de alimentos. Com metodologia de transformação própria, a empresa impediu que mais de 130 mil toneladas de lixo poluíssem o meio ambiente, e contribuiu para geração de renda de muitas pessoas.

Alimento que Transforma

Por Gastronomia Periférica

Com os olhares direcionados aos impactos sociais e ambientais gerados pelo consumo do alimento, Edson Leite e Adélia Rodrigues criaram, em 2017, a Gastronomia Periférica. Combinando ações de conscientização sobre o aproveitamento total dos alimentos, educação e desenvolvimento humano, o projeto oferece formação profissional gratuita para pessoas periféricas, a maioria mulheres pretas que enxergam o universo gastronômico como possibilidade de mudança de vida. A transformação social que iniciou em São Paulo, hoje alcança 16 estados brasileiros.

Revolução Solar

Por Revolusolar

Com o propósito de ampliar as possibilidades de acesso à energia solar de forma justa e econômica, a Revolusolar alia a experiência de lideranças comunitárias de favelas cariocas à evolução da energia solar, como alternativa energética sustentável. A Organização sem fins lucrativos atua com foco em três eixos de desenvolvimento: educação e conscientização ambiental, formação profissional e instalação de sistemas de energia solar fotovoltaica. Pensando na expansão do modelo de desenvolvimento sustentável para novos territórios, a Revolusolar, em parceria com o Circo Crescer & Viver, lançou o projeto Circo Solar, que tem o objetivo de criar um movimento de transição energética inclusiva na região central do Rio de Janeiro.

Água para Vidas Secas

Por SDW

Criada pela jovem baiana Anna Luisa Beserra, à época no ensino médio com 18 anos, a SDW (Sustainable Development & Water for All) nasceu com o propósito de transformar a vida de milhares de pessoas que vivem sem acesso à água e saneamento. Uma das tecnologias utilizadas, batizada de Aqualuz, funciona como um filtro que purifica a água da chuva coletada por cisternas instaladas predominantemente em áreas rurais. Através da radiação solar, o aparelho elimina vírus e bactérias presentes na água, tornando-a pronta para consumo. A tecnologia desenvolvida por ela em Salvador, na Bahia, levou água potável para inúmeras famílias do semiárido brasileiro.

Arte, Comunidade e Natureza

Por Seringô

A parceria do ecologista Francisco Samonek com o saber ancestral de indígenas e seringueiros da Amazônia, resultou na descoberta de uma mistura preciosa, produzida a partir do látex e de fibras vegetais. Hoje, o material é responsável pela produção de diferentes peças artesanais: bolsas, biojóias e objetos de decoração. Sob a gestão da artesã Zélia Damasceno – sócia e esposa de Francisco, o projeto oferece qualificação profissional e promove a inclusão socioprodutiva. Com sede no Pará, a Seringô prova que é possível fazer uso de recursos naturais de forma racional, preservar a biodiversidade e manter nossa floresta em pé.

Primeira temporada

Na primeira versão - em formato série documental, realizada em 2016, contamos quatro histórias inspiradoras que marcaram o início do projeto como a história da Anne e Tiala, duas surfistas que possuem a Congo, uma fábrica de pranchas na Bahia; a história da Fernanda Bianchini e sua Associação de Ballet para cegos, única no mundo; a história do Jonathan Berezovsky com o seu negócio social que empodera refugiados e imigrantes, o Migraflix e a história do Gerfried e da Natacha com a PanoSocial, que une a moda sustentável com a reinserção de ex-detentos. Conheça!

Video Thumbnail

Elas, o Surf e um Mandacaru

Por Congo

Elas são as únicas no Brasil a fazerem todo esse processo do início ao fim.

Ideia de futuro pra elas: Levar o surf e a marca Congo para o mercado brasileiro, empoderar outras mulheres realizando treinamentos para confecção de pranchas, continuar incentivando o surf feminino local além de unir mulheres ilustradoras para colaborarem com a personalização de pranchas.

Assista, Inspire-se e colabore!

Video Thumbnail

O Ballet Através de um Outro Olhar

Por CIA Ballet de Cegos

Este episódio conta a história de Fernanda Bianchini, bailarina, fisioterapeuta e uma empreendedora social, que desde os 15 anos criou uma Escola de Ballet para cegos. Única no mundo. Hoje a Associação Fernanda Bianchini oferece cursos gratuitos de ballet clássico, sapateado, dança de salão, expressão corporal e teatro não apenas para as pessoas com deficiência visual como também para pessoas com deficiência auditiva, motora e intelectual. Fernanda Bianchini, desenvolveu um método pioneiro de ensino da técnica do Ballet Clássico comprovando que o Ballet é muito mais do que uma arte apenas visual, é uma arte sensorial. É uma dança para ser sentida com o coração.

Video Thumbnail

Novos Brasileiros

Por Migraflix

Este episódio conta a história de Jonathan Berezovsky um empreendedor, que em 2015 criou o Migraflix, um negócio social, que tem o objetivo de empoderar economicamente e socialmente imigrantes e refugiados que chegam ao Brasil, promovendo suas culturas. Através do Migraflix, os imigrantes e refugiados ganham a oportunidade de apresentar e compartilhar sua cultura através de aulas de culinária, música, dança e caligrafia, onde conseguem gerar assim sua própria renda e se colocar em uma situação de igual para igual na sociedade local.

Video Thumbnail

Da Moda à Ressocialização

Por PanoSocial

Este episódio conta a história de Natacha Barros, produtora de moda e  Gerfried Gaulhofer, designer, empreendedores sociais, que criaram a PanoSocial, um negócio social, que produz roupas e acessórios a partir de algodão 100% orgânico e pigmentos naturais, além de inserir ex-detentos no seu processo de fabricação colaborando para o empoderamento social e econômico destas pessoas. Sobre esse tema, os ex-detentos Emerson Ferreira e Paulo Silva falam dos desafios encontrados pelos egressos do sistema prisional e a importância da PanoSocial nesse contexto.